A Gfi foi selecionada pela Agência Espacial Francesa (CNES – Centre Nationale d’Études Spatiales) para assegurar, por um período de quatro anos extensível a seis, a gestão global e a evolução das suas infraestruturas e aplicações, incluindo os serviços de suporte aos utilizadores, manutenção operacional, supervisão, exploração e implementação de novos serviços.

A Direção de Sistemas de Informação da Agência Espacial Francesa lançou um projeto ambicioso para os seus sistemas de informação, incluindo diversos projetos como: gestão da informação, ambiente de trabalho, gestão de dados empresariais, infraestrutura e rede, controlo dos riscos e monitorização dos sistemas de informação.

Os principais desafios são:

  • Colocar os utilizadores no centro dos serviços de SI, fornecendo-lhes um serviço de valor acrescentado;
  • Implementar serviços de outsourcing em total conformidade com os padrões de mercado, ao nível da proatividade, flexibilidade e segurança;
  • Controlar os custos associados assegurando a devida previsibilidade e transparência na avaliação dos diferentes serviços.

De acordo com Geneviève Campan, Diretora dos Sistemas de Informação do CNES, “estávamos à procura de um parceiro capaz de nos acompanhar na nossa transformação durante esta nova etapa. A Gfi demonstrou ter a capacidade para gerir os nossos atuais serviços e, de igual modo, compreender e traduzir em soluções os nossos desafios de transformação”.

Hoje, uma equipa composta por mais de 140 profissionais, distribuídos pelas instalações da Gfi em França – Toulouse, Nantes e Paris, opera sobre os Sistemas de Informação do CNES.

Compromisso total nos serviços prestados

O bom entendimento do ecossistema e dos desafios da Agência Espacial Francesa permitiu-nos responder a todos os seus requisitos. Além disso, a Gfi destacou-se da concorrência por quatro critérios principais:

  • Um modelo de governo forte, partilhado e orientado ao negócio: propusemos um modelo de governo único e transparente entre as diferentes equipas intervenientes;
  • Uma oferta industrial: propusemos uma oferta virada para a otimização dos processos e custos associados, graças aos centros de serviços franceses;
  • Uma oferta ágil: a nossa capacidade de adaptação e transformação, presente em todo o período do contrato, foi um elemento determinante;
  • Uma transição segura das equipas: graças à sua forte presença local e ao seu constante crescimento, a Gfi foi capaz de apresentar todas as garantias para a preservação das funções da equipa em Toulouse, tema particularmente importante para CNES.

Durante o processo de seleção, procurámos ouvir e compreender as reais necessidades do cliente, que detinha um nível de maturidade elevado e o desejo de compreender que melhorias adotar na sua organização. O principal objetivo não era abandonar as soluções já implementadas, mas demonstrar a capacidade de transformação e otimização dos modelos atuais, atendendo a todos os requisitos de segurança.

Palavras-ChaveindustriaAeroespacialServiçosinfrastruturasaplicações

Partilhar