O advento das Smart Cities e das tecnologias digitais proporcionam uma oportunidade de melhoria do relacionamento com o utilizador de serviços públicos, tornando-os mais inovadores e eficientes, capazes de satisfazer as necessidades e expectativas de cidadãos e empresas.

Leia o eBook 'Smart Cities - The Economic and Social Value of Building Intelligent Urban Spaces’

Cidades inteligentes e cidadãos digitais

Na atualidade, os principais desafios das cidades são o controlo orçamental, a satisfação e o bem-estar do cidadão, o respeito pelo meio ambiente e a atratividade económica e turística. Interligadas, as cidades enfrentam inúmeros estímulos e desafios.

Neste contexto, surgem dois fenómenos que irão, definitivamente, acelerar a adoção de uma estratégia de Cidade Inteligente. Um dos fenómenos é tecnológico, com o advento das soluções digitais, da Cloud, do Big Data e do crescente aumento dos dispositivos móveis.

O outro associa-se a uma mudança social, onde os cidadãos esperam do seu município o mesmo desempenho e os mesmos serviços personalizados que obtêm em ambiente privado. 

Estas tendências implicam, de forma mais ampla, que todos os atores da vida cívica, como os representantes eleitos, funcionários, associações, parceiros públicos ou privados, se adaptem a esta nova realidade. A transformação digital oferece, em si mesma, uma oportunidade de melhoria do relacionamento com o cidadão, incluindo os recursos humanos e financeiros associados. Contudo, não devemos limitar esta visão a um desafio tecnológico. A implementação de soluções inovadores baseia-se na experiência real e no dia-a-dia do cidadão.

Recolha e análise de dados

Fruto da nossa longa experiência na gestão de serviços para a Administração Pública Local, e beneficiando do conhecimento detido sobre as dinâmicas de relacionamento com o cliente, estamos a entrar numa nova fase de desenvolvimento de Cidades Inteligentes com uma solução de otimização de serviços públicos nas áreas de transporte, distribuição de água e energia. Esta solução baseia-se na recolha de dados, em tempo real, dos pedidos efetuados pelo cidadão, comparando-os com os dados de gestão dos serviços públicos. Com a criação de plataformas de dados dos serviços municipais, partilhados entre as autarquias locais e os seus principais operadores, é possível melhorar a qualidade do serviço prestado aos cidadãos e às empresas.

Com esta informação disponível em ambiente seguro, é possível a criação de novos serviços inovadores em diferentes áreas de atuação, potenciando uma democracia mais participativa. 

A Segurança dos Dados

As Tecnologias de Informação para as Cidades Inteligentes impõem algumas restrições. Por um lado, requerem a disponibilidade 24/7 dos sistemas críticos (alguém pode imaginar uma avaria nos sistemas de transporte ou de energia?). Por outro lado, a importância da segurança dos dados manipulados, dos dados confidenciais de todos os operadores da cidade e, acima de tudo, dos dados privados dos cidadãos. Do mesmo modo, o número de meios de acesso à informação (Internet, móvel, posto de trabalho profissional e pessoal) e de objetos conectados tem aumentado de forma exponencial o volume de dados transacionados, multiplicando os riscos e as vulnerabilidades na segurança da informação.

A Gfi é um dos principais players de Tecnologia de Informação em Portugal e tem uma equipa dedicada ao tema da Segurança de Informação, nomeadamente na conformidade com o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR).

Uma nova forma de trabalho na era digital

Para oferecer uma experiência bem-sucedida ao cidadão, é fundamental colocar à disposição dos funcionários públicos e agentes do Estado, ferramentas modernas e inovadoras que promovam a eficiência e a colaboração transversal, assegurando um trabalho em mobilidade e a otimização dos recursos. Este é o desafio que a Gfi procura ver resolvido ao nível da gestão da relação com o cidadão, com base em quatro soluções:  

  • Gfi Public CRM, para gerir, de forma centralizada e integrada, os processos internos e externos das autarquias locais, melhorando os serviços prestados ao cidadão.
  • Gfi City Hub, a plataforma móvel e a App Store da cidade, capaz de colocar todos os serviços públicos nos smartphones dos atores da vida cívica.
  • Gfi ConnectiCité, plataforma SaaS de serviços eletrónicos para os cidadãos, representantes eleitos e agentes do Estado.
  • Gfi Smart Transport 3.0, para otimizar o funcionamento do ecossistema dos transportes urbanos, melhorando a experiência do cidadão e a eficiência económica das operações de transporte multimodal (autocarro, comboio, bicicleta, carro ou mota partilhada, etc.). A nossa oferta corresponde às necessidades dos transportes públicos e escolares, facilitando a interação entre os cidadão, os municípios e os operadores locais.

Uma aplicação para otimizar a duração dos transportes urbanos

Desenvolvido pela Gfi, em parceria com a Tata Consulting Services e a sua subsidiária Digital Software and Solutions, esta aplicação melhora a gestão das frotas dos Transportes Públicos Rodoviários de Passageiros, respondendo a uma necessidade específica dos passageiros. Esta aplicação é um dos primeiros passos para a transformação do setor dos transportes, onde as soluções de transporte multimodal, a otimização do estacionamento e a gestão de veículos elétricos irá melhorar a qualidade de vida dos seus passageiros.

As futuras aplicações desenvolvidas incluirão também os sistemas de gestão de resíduos e abastecimento de água, assim como os sistemas de gestão de energia que constitui um dos mercados mais importantes. Para cada área de atuação, o município pode disponibilizar os seus dados a cidadãos e operadores que pretendam criar um novo serviço para a cidade. 

Palavras-ChaveSmart citiesCompany HubCity Hubcidadãos

Partilhar